Fonte: UNICEF Mozambique |

UNICEF destaca pessoal e material salva-vidas para crianças e famílias afectadas pela Tempestade Tropical Ana em Moçambique

Há probabilidades que mais de 45.000 pessoas, incluindo 23.000 mulheres e crianças, precisem de assistência humanitária na sequência da tempestade que atingiu as províncias de Nampula, Zambézia, Tete, Niassa, Sofala e Manica

Estamos a trabalhar em conjunto com o Governo Moçambicano e os nossos parceiros para prestar assistência às crianças e suas famílias nas áreas afectadas

MAPUTO, Moçambique, 27 de janeiro 2022/APO Group/ --

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) está a destacar pessoal e a preparar material médico e nutricional, água, saneamento e kits de higiene, bem como a criar espaços de aprendizagem temporários para apoiar crianças e famílias afectadas pela Tempestade Tropical Ana, que se aproximou à zona continental no centro e no norte de Moçambique a 24 de Janeiro.

Há probabilidades que mais de 45.000 pessoas, incluindo 23.000 mulheres e crianças, precisem de assistência humanitária na sequência da tempestade que atingiu as províncias de Nampula, Zambézia, Tete, Niassa, Sofala e Manica.

A poderosa tempestade causou inundações, danificou quase 10.500 casas, bem como infra-estruturas públicas, incluindo pontes, linhas eléctricas, escolas, sistemas de água, e instalações de saúde. De acordo com o Instituto Nacional para a Redução e Gestão de Riscos de Catástrofes (INGD), a 26 de Janeiro, 12 instalações de saúde e 346 salas de aula (137 escolas) foram danificadas ou destruídas, deixando 27.383 alunos sem um lugar para aprender, antes do novo ano lectivo que está previsto começar na Segunda-feira, 31 de Janeiro. Espera-se que estes números aumentem, uma vez que as equipas no terreno ainda estão a avaliar a situação.

Dado que Moçambique está na sua estação chuvosa, a situação poderá deteriorar-se rapidamente se outra depressão tropical ou ciclone trouxer chuvas adicionais significativas a rios e barragens já cheias.

"Estamos a trabalhar em conjunto com o Governo Moçambicano e os nossos parceiros para prestar assistência às crianças e suas famílias nas áreas afectadas," disse Maria Luisa Fornara, Representante do UNICEF em Moçambique. "Esta última tempestade a atingir Moçambique é um lembrete contundente de que a crise climática é uma realidade e que as crianças são as mais afectadas por eventos climáticos severos relacionados com o clima".

Nos próximos dias, as equipas de emergência do UNICEF começarão a distribuir mantimentos essenciais tais como baldes, pastilhas purificadoras de água e sabão, alimentos terapêuticos prontos a usar para crianças desnutridas, e criarão espaços de aprendizagem temporários onde as crianças cujas escolas tenham sido danificadas/destruídas possam aprender e brincar em segurança. O UNICEF tem vindo a partilhar mensagens de protecção e prevenção para mitigar o impacto da tempestade através de rádios provinciais e locais, unidades móveis multimédia e U-Report.

O UNICEF estima que precisará de 3,5 milhões de dólares para responder às necessidades imediatas das populações afectadas pela Tempestade Tropical Ana em Moçambique. A organização está a utilizar os seus abastecimentos pré-posicionados e a mobilizar fundos internos.

De 2016 a 2021, o país enfrentou dois graves eventos de seca e oito tempestades tropicais, incluindo os grandes ciclones Idai e Kenneth, que atingiram o país em 2019 num período de seis semanas e afectaram 2,5 milhões de pessoas. De acordo com a ferramenta de avaliação de risco de desastres INFORM, Moçambique ocupa o 9º lugar dentre 191 países do mundo devido à elevada vulnerabilidade do país aos perigos, exposição aos riscos, e falta de capacidade de resposta.

Distribuído pela APO Group em nome de UNICEF Mozambique.