Nestlé
Fonte: Nestlé |

A carência de ferro prejudica milhões de vidas em África – não é altura de acabar com isso? (Por Rémy Ejel, Chefe do Departamento de Mercado da Nestlé CWAR Ltd)

Ferro, um nutriente principal no desenvolvimento do cérebro das crianças, ajudando também aos adultos a terem uma vida satisfatória, encontra-se frequentemente em falta na dieta das pessoas

Mas por que razão devemos dar importância? Porque a carência do ferro abranda o crescimento sustentável e económico de África

ACCRA, Gana, 16 de outubro 2019/APO Group/ --

Por Rémy Ejel, Chefe do Departamento de Mercado da Nestlé CWAR Ltd

Existe um provérbio africano que diz: “A sua comida é suposto ser o seu remédio, assim como este deve ser a sua comida.”

No entanto, milhões de pessoas neste continente não estão a desfrutar da vida ao máximo porque a comida no qual comem não fornece nutrientes necessários para o cérebro e corpo.

O assunto este ano é Dia Mundial da Alimentação (https://bit.ly/ZFZsmI) – Dietas Saudáveis para a Fome Zero – chama a atenção a todos que começam a pensar no que comemos.

Viva mais com ferro

Ferro, um nutriente principal no desenvolvimento do cérebro das crianças, ajudando também aos adultos a terem uma vida satisfatória, encontra-se frequentemente em falta na dieta das pessoas.

A carência de ferro é uma das carências mais frequentes do mundo. Jovens, raparigas adolescentes, e as grávidas são aquelas que sofrem mais. Incapacita dos seus organismos, reduz a capacidade de apresentar e de trabalhar para viver de forma satisfatória; assim como outras formas graves – anemia – faz com que as mulheres morrem de parto.

Mas por que razão devemos dar importância? Porque a carência do ferro abranda o crescimento sustentável e económico de África.

Sabia que a carência de ferro poderá prejudicar a si ou à sua família?

Cansaço, fadiga,palidez e dificuldade de respiração são todos os sintomas associados à carência de ferro, normalmente conhecida como anemia.

Mas, a realidade é que a maior parte das pessoas da África Central e Ocidental não relaciona estes sintomas com a falta de ferro, sendo que não possuem a consciência das consequências nas suas vdas ou familiares.

No Gana, por exemplo, uma em cada cinco crianças com menos de cinco anos, possuem carência de ferro. Na Costa do Marfim (https://bit.ly/2MGXVaC),  a carência de ferro (anemia) afeta 80% das crianças em idade pré-escolar, assim como 50% das crianças em idade escolar e mulheres .

Com a carência de ferro sendo a causa de metade dos casos de anemia, mais de 75% dos jovens desfavorecidos com menos de cinco anos são anémicos na Serra Leoa, Mali, Nigéria, Burkina Faso e Gâmbia, de acordo com o Banco Mundial em 2016.

A carência de ferro não é apenas evitável; as suas soluções são baratas e eficazes

A carência de ferro não precisa de ser uma doença a longo prazo. Podemos parar com essa fome escondida que enfraquece a vida de milhões. As soluções estão ao nosso alcance e cabe a nós resolver e evitá-las.

Existem mais pessoas que precisam de saber sobre a carência de ferro

As pessoas na África Central e Ocidental precisam de conhecer os sintomas e as graves consequências a longo prazo da falta de ferro. As empresas alimentícias e a sociedade civil precisam de se reunir com as autoridades de saúde para promover os alimentos disponíveis localmente, ricos em ferro e hábitos alimentares equilibrados de forma a maximizar a absorção de ferro no organismo.

Coma mais alimentos ricos em ferro cultivados localmente

Abastecer a ingestão de ferro é simples e acessível. De folhas verdes a leguminosas escuras, e miudezas a peixe e carnes vermelhas (https://bit.ly/2OgPBNQ), incluindo essas nas suas refeições diárias, podem ajudar a aumentar sua ingestão de ferro. Ao comer estes alimentos ricos em vitamina C (https://bit.ly/2Bc5yAC), tais como limões, laranjas, papaias, tomate e alguns vegetais verdes, aumenta a absorção de ferro no seu corpo.

Fortaleça a sua dieta

Os requisitos de ferro podem ser um desafio, especialmente para as crianças e mulheres jovens.   

Por conseguinte, comer alimentos fortificados é uma boa maneira de aumentar a ingestão de ferro e outras vitaminas e minerais que podem estar a faltar na dieta das pessoas de maneira acessível. 

Na África Central e Ocidental, a fortificação de alimentos é um pilar fundamental de como a Nestlé melhora a qualidade de vida e contribui para um futuro mais saudável, fornecendo uma nutrição saudável e barata.

Em 2009, começamos a mapear as diferentes carências de micronutrientes na região e identificamos os alimentos e bebidas mais relevantes para fortalecer, a fim de preencher as lacunas na dieta das pessoas.

O caldo Maggi (https://bit.ly/2VIYAfV) foi uma das soluções mais óbvias, dado que são amplamente consumidos por toda a região e a todos os níveis de rendimento. É por isso que criámos os cubos de ferro fortificados Maggi (https://bit.ly/2ITPgk5), para cada porção ,fornecendo assim 15% da dose diária recomendada de ferro, além dos 30% da dose diária recomendada de iodo. Os cereais infantis Cerelac são outra solução alimentar que fornece muita nutrição para os mais pequenos, enriquecidas com ferro, zinco, iodo e vitamina A e B, juntamente com leite Nido e bebidas Milo .

Existem outras maneiras de enriquecer a dieta das pessoas, que é usar culturas naturalmente biofortificadas, como o milho laranja, rico em vitamina A, cultivado na Nigéria com o apoio do Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Nigéria, do Instituto Internacional de Agricultura (CIAT) e Colheita Tropical. São colheitas em que todos saem a ganhar: os agricultores podem consumi-lo com as suas famílias e as empresas alimentícias podem incluí-lo nos seus produtos. Até 2020, a Nestlé integrará pelo menos 1.000 toneladas de milho biofortificado (https://bit.ly/31jzZj1) cereais Golden Morn na Nigéria.

Em 2018, fornecemos 73 bilhões de porções de alimentos fortificados para as famílias da região e garantimos que 100% do portfólio de alimentos das nossas crianças seja aumentado. 

A fortificação de alimentos é barata - custa apenas entre 2-5% do custo de matéria-prima, ajudando a aumentar os hábitos alimentares atuais das pessoas e é eficaz na redução de carências. 

Outras soluções úteis

Ao tomar o seu café ou chá habitual durante 30 minutos ou mais após uma refeição, pode ajudar, pois essas bebidas contêm ingredientes que limitam a absorção de ferro.

Se estiver preocupado com a sua ingestão de ferro, consulte o seu médico sobre tomar um suplemento de ferro, principalmente se estiver grávida.

Porquê agir agora?

A carência de ferro prejudica o sucesso futuro de milhões de crianças e mulheres africanas. No entanto, é uma problema evitável através de soluções acessíveis e baratas a todos. 

Portanto, cabe a todos nós combater a falta de ferro e a anemia utilizando uma abordagem colaborativa.

Isso pode ser tão simples quanto conscientizar sobre os benefícios de uma dieta equilibrada e rica em ferro para as pessoas por via de campanhas interessantes e mensagens relevantes. Por exemplo, nosso objetivo é progredir nessa área, criando uma campanha de conscientização sobre a carência de ferro por três anos no Dia Mundial da Alimentação por toda a região, juntamente com especialistas, personalidades regionais, a campeã de Liderança em Nutrição e a Primeira Dama e África em Gana, Rebecca Akufo-Addo.

Ao trabalharmos juntos, também podemos ajudar a melhorar a saúde e a nutrição das pessoas. Do governo à sociedade civil, aos agricultores e às empresas, esta deve ser a nossa prioridade de tornar as dietas saudáveis ​​e sustentáveis ​​acessíveis e baratas a todos. Temos os meios para torná-lo realidade - vamos agir agora.

Observações: O director-geral da Nestlé CWAR Cluster estará disponível esta semana para fornecer comentários sobre os desafios contínuos que os países africanos estão a enfrentar na luta contra a falta de ferro. Para mais informações ou para marcar uma entrevista, entre em contato com: MarieChantal.Messier@gh.nestle.com

Distribuído pela APO Group em nome de Nestlé.