Merck Foundation
  • Conteúdo multimédia

  • Imagens (9)
    • Dr. Rasha Kelej, CEO da Merck Foundation com Merck Foundation Alumni
    • Merck Foundation Alumni (1)
    • Merck Foundation Alumni (2)
    • Merck Foundation Alumni (3)
    • Merck Foundation Alumni (4)
    • Merck Foundation Alumni (5)
    • Merck Foundation Alumni (6)
    • Merck Foundation Alumni (7)
    • Merck Foundation Alumni (8)
  • Ligações (2)
  • Todos (11)
Fonte: Merck Foundation |

A Fundação Merck junta-se às Primeiras Damas Africanas para melhorar o tratamento de cancro em África, fornecendo bolsas de estudos de um, dois e três anos em Oncologia e mestrado para mais de 80 médicos de 26 países

A Fundação Merck faz história em África, na formação das primeiras oncologistas africanas e equipas de tratamento de cancro na Gâmbia, Serra Leoa, Burundi, Libéria, Guiné Conacri, República Centro-Africana, Chade e Níger

O nosso principal objectivo é garantir tratamento de qualidade e acessível a pacientes que nunca tiveram ninguém para cuidar deles antes

MONROVIA, Libéria, 7 de julho 2020/APO Group/ --

A Fundação Merck (www.Merck-Foundation.com), o braço filantrópico da Merck KGaA Alemanha em parceria com as Primeiras Damas e os Ministérios da Saúde de África, continua a oferecer bolsas de estudo de um, dois e três anos em oncologia e mestrado para médicos africanos através do seu Programa de Acesso ao Cancro com o objectivo de aumentar o número limitado de Oncologistas em todo o continente.

A Dr. Rasha Kelej, PCA da Fundação  Merck e uma das 100 africanas mais influentes enfatizou: “A nossa estratégia é desenvolver uma equipa multidisciplinar de tratamento oncológico em cada país, como Técnicos em Medicina, Cirurgia, Pediatria, Ginecologia, Oncologistas de Radiação, Enfermagem, Patologista e Radiologia. Como mulher africana, tenho orgulho de estar a fazer história em África, formando os primeiros oncologistas e as primeiras equipas de tratamento de cancro em muitos países como  Gâmbia, Serra Leoa, Burundi, Libéria, Guiné Conacri, República Centro-Africana, Chade e Níger.

O nosso principal objectivo é garantir tratamento  de qualidade e acessível a pacientes que nunca tiveram ninguém para cuidar deles antes ”.

A Primeira Dama da Gâmbia, S. Excia FATOUMATTA BAH-BARROW disse: "Estou muito orgulhosa deste programa que agregou grande valor ao meu país, a Gâmbia, fornecendo formação especializada aos primeiros oncologistas do meu país".

A Primeira Dama da Libéria, S. Excia CLAR MARIE WEAH enfatizou: “A Fundação Merck é a primeira fundação que forneceu essa valiosa formação especializada aos primeiros oncologistas da Libéria. Eles também estão a fornecer formação aos primeiros especialistas em fertilidade, embriologistas e em diabetes no meu país, a Libéria.

Em parceria com o meu gabinete, a Fundação Merck também fornecerá diploma on-line de um ano e dois anos de mestrado em Medicina RespiraMedicina Cardiovascular, Medicina  Sexual e Reprodutiva, Medicina Aguda e Endocrinologia para a Libéria e, claro, o resto da África. ”

A Fundação Merck concedeu bolsas de estudo de um, dois e três anos em oncologia e mestrado a mais de 80 oncologistas de 26 países através do seu Programa de Acesso ao Cancro, em parceria com as Primeiras Damas e os Ministérios da Saúde desses países.

De acordo com os dados, o ônus do cancro em África está a crescer, com estimativas recentes reportando 1,06 milhão de novos casos de cancro diagnosticados por ano.  Espera-se que esse número aumente de 102% para 2,12 milhões até 2040. Embora o ônus do cancro em África esteja a aumentar rapidamente, há um número muito limitado de oncologistas e também há uma falta de investimento na construção de capacidade profissional de tratamento de cancro em todo o continente.

“Portanto, acreditamos firmemente que a capacitação profissional em saúde é a estratégia certa para enfrentar esse desafio premente. É uma iniciativa em curso, pois o objectivo é aumentar a capacidade de tratamento do cancro e planeamos ampliá-la para treinar mais médicos em mais países africanos ”, acrescentou a Dra. Rasha Kelej.

Lançado em 2016, o Merck Cancer Access Program oferece bolsas de um, dois e três anos e programas de mestrado a médicos africanos na Índia, Egipto, Quénia e Malásia.

A Fundação Merck, através do seu Programa de Acesso ao Cancro da Merck, formou até hoje mais de 80 especialistas em tratamento oncológico de 26 países: Botsuana, Burundi, Camarões, CAR, Chade, Congo Brazzaville, RDC, Etiópia, Gabão, Gâmbia, Gana, Guinee, Quênia , Libéria, Malawi, Maurício, Namíbia, Níger, Ruanda, Senegal, Serra Leoa, África do Sul, Tanzânia, Uganda, Zâmbia e Zimbábue.

Assista ao vídeo dos ex-alunos da Fundação Merck: https://bit.ly/2ZHi2Mt

Distribuído pela APO Group em nome de Merck Foundation.

Participe da conversa nas nossas plataformas de mídias sociais abaixo e deixe a sua voz ser ouvida:
Facebook: bit.ly/2MmUl3p
Twitter: bit.ly/2NDqHLR
YouTube: bit.ly/318obQe
Instagram: bit.ly/2MtCKsu
Flicker: bit.ly/2P7AICN
Website: www.Merck-Foundation.com

Sobre a Fundação Merck:
A Fundação Merck (www.Merck-Foundation.com), criada em 2017, é o braço filantrópico da Merck KGaA Alemanha, visa melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas e aprimorar as suas vidas através da ciência e da tecnologia. Os nossos esforços estão focados principalmente na melhoraria de acesso a soluções de saúde equitativas e de qualidade em comunidades carentes, fortalecendo a capacidade de pesquisa científica e de saúde e capacitando as pessoas em STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), com foco especial em mulheres e jovens.  Todos os comunicados de imprensa da Fundação Merck são distribuídos por e-mail ao mesmo tempo em que estão disponíveis no site da Fundação Merck.  Por favor, visite www.Merck-Foundation.com para ler mais. Para saber mais, entre em contacto com as nossas mídias sociais: Merck Foundation (www.Merck-Foundation.com);  Facebook (bit.ly/347DsTd), Twitter (bit.ly/2REHwaK), Instagram (bit.ly/2t3E0fX), YouTube (bit.ly/2E05GVg) e Flicker (bit.ly/2RJjWtH).

Sobre a Merck:
A Merck (www.MerckGroup.com) é uma empresa líder em ciência e tecnologia em saúde, ciências da vida e materiais de desempenho. Quase 52.000 funcionários trabalham para desenvolver tecnologias que melhoram e aprimoram a vida - desde terapias biofarmacêuticas para tratar cancro ou esclerose múltipla, sistemas de ponta para pesquisa e produção científica, até cristais líquidos para smartphones e televisores LCD.

Fundada em 1668, a Merck é a empresa farmacêutica e química mais antiga do mundo. A família fundadora continua a ser proprietária maioritária do grupo corporativo de capital aberto. A Merck detém os direitos globais do nome e da marca Merck. As únicas excepções são os Estados Unidos e o Canadá, onde a empresa opera como EMD Serono, MilliporeSigma.