Netflix
  • Conteúdo multimédia

  • Vídeos (4)
    • Competição de Contos Folclóricos Africanos | Netflix x UNESCO
    • Encontrando a próxima geração de cineastas da África: Netflix e UNESCO lançam competição inovadora
    • Netflix e UNESCO lançam competição inovadora
    • Encontrando a próxima geração de cineastas da África
  • Imagens (1)
    • Em busca da próxima geração de realizadores africanos: Netflix e UNESCO iniciam competição inovadora na África Subsariana
  • Todos (5)
Fonte: Netflix |

Em busca da próxima geração de realizadores africanos: Netflix e UNESCO iniciam competição inovadora na África Subsariana

Candidaturas para a competição "Contos populares africanos reinventados" abertas até 14 de novembro; Seis vencedores irão criar curtas-metragens que irão estrear na Netflix

África possui uma valiosa herança de contadores de histórias e um património de contos populares que foram passados de geração em geração

LAGOS, Nigéria, 14 de outubro 2021/APO Group/ --

A Netflix (www.Netflix.com) e a UNESCO associaram-se para iniciar uma inovadora competição de curtas-metragens sobre "Contos populares africanos reinventados" na África Subsariana (https://bit.ly/3p0LtaD). Os vencedores da competição receberão formação e orientação de profissionais da indústria e um orçamento de 75 mil dólares americanos para criar curtas-metragens que irão estrear na Netflix em 2022 como "Antologia de contos populares africanos".

Um dos principais objetivos desta competição é descobrir novas vozes e dar aos realizadores da África Subsariana visibilidade à escala global. Queremos encontrar os mais corajosos, divertidos e surpreendentes relatos de alguns dos mais adorados contos populares africanos e partilhá-los com os fãs do entretenimento em mais de 190 países.

A competição, que será organizada pelo grupo Dalberg, será aberta de 14 de outubro de 2021 a 14 de novembro de 2021. Cada um dos 6 vencedores receberá um apoio à produção de 75 mil dólares americanos (através de uma empresa de produção local) para desenvolver, filmar e pós-produzir os seus filmes sob a orientação de mentores da indústria cinematográfica selecionados pela UNESCO e Netflix para garantir que todos os envolvidos na produção sejam devidamente recompensados. Além disso, cada um dos 6 vencedores receberá 25 mil dólares americanos.

A UNESCO e a Netflix acreditam firmemente na importância de promover histórias locais diversificadas e de as contar ao mundo. Estas reconhecem que muitos realizadores emergentes têm dificuldades em encontrar a visibilidade e os recursos certos para explorar totalmente os seus talentos e desenvolver as suas carreiras criativas. Esta competição tem como objetivo solucionar estes problemas e permitir que os contadores de histórias africanos deem o primeiro passo na exibição do seu conteúdo a um público global.

Esta parceria também ajudará a criar emprego sustentável e incentivará o crescimento económico, contribuindo assim para a concretização da Agenda de desenvolvimento sustentável de 2030, uma série de objetivos estabelecidos pelas Nações Unidas que pretendem acabar com a pobreza mundial em todas as suas formas até ao final desta década. Esta competição de cinema também ajudará a reduzir a desigualdade facilitando o acesso aos mercados globais e garantindo condições de trabalho dignas. Todos estes são objetivos essenciais da Agenda de 2030.

A competição está aberta a realizadores emergentes na África Subsariana com o tema "Contos populares africanos reinventados". Os contos populares sempre foram uma maneira importante de transmitir cultura, herança e valores às gerações futuras, ao mesmo tempo que convidam constantemente as pessoas a reinventar a sua relevância para as nossas sociedades contemporâneas. Este tema é inspirado na 5.ª Aspiração da Agenda 2063 da União Africana, que celebra a identidade cultural, a herança comum, os valores e a ética africanos. Esta competição pretende explorar esta importante tradição com uma visão moderna, aproveitando novos meios de distribuição de conteúdo artístico e criativo como a Netflix.

Na primeira ronda, os candidatos terão de submeter uma sinopse do seu conceito (não mais de 500 palavras) e ligações para um CV recente e um portefólio/provas de qualquer trabalho audiovisual passado que tenham produzido. Os candidatos podem submeter a sua candidatura através da ligação https://bit.ly/3DU4AHF de 14 de outubro a 14 de novembro de 2021, às 23h59 (GMT).

UNESCO Comments:

“O setor cinematográfico deve assegurar que a criatividade da África seja destacada, apoiando os jovens talentos e garantindo que os cineastas africanos contribuam para a indústria cinematográfica internacional.” - Audrey Azoulay, Directora geral da UNESCO.

"Este concurso põe em destaque, a nível mundial, os talentos emergentes de África, ao mesmo tempo que honra a tradição narradora do continente. Ao injectar nova energia nos contos populares, estes jovens cineastas permitem que estas histórias transcendam o tempo, o espaço e a cultura - desde as suas comunidades, através de uma plataforma digital, até aos corações das audiências de todo o mundo" - Ernesto Ottone R., Sub-Diretor geral de Cultura da UNESCO.

Netflix Comments:

"África possui uma valiosa herança de contadores de histórias e um património de contos populares que foram passados de geração em geração. Quando associamos estas histórias locais aos talentos emergentes de África, não há limite para as novas histórias que podem surgir e para as ligações que se podem fazer entre as pessoas e a cultura africana, aproximando ainda mais o mundo" - Ben Amadasun, Diretor de conteúdos da Netflix em África.

Para obter mais informações sobre o processo de candidatura, visite https://bit.ly/3DU4AHF.

Distribuído pela APO Group em nome de Netflix.

Sobre o processo de candidatura:

  • ●  Como se candidatar:

Os candidatos terão de submeter uma sinopse do seu conceito (não mais de 500 palavras) numa Declaração Criativa, assim como uma ligação para um CV recente e um portefólio de qualquer trabalho audiovisual passado que tenham produzido em https://bit.ly/3DU4AHF

  • ●  Candidaturas abertas

As candidaturas podem ser feitas através da ligação https://bit.ly/3DU4AHF a partir de 14 de outubro. Serão encerradas a 14 de novembro de 2021, às 23h59 (GMT).

  • ●  Critérios de elegibilidade:
  1. A competição está aberta a indivíduos que procuram aventurar-se no desenvolvimento e produção de longas-metragens. Os candidatos devem ter um mínimo de 2 anos e um máximo de 5 anos de experiência profissional comprovada na indústria audiovisual. Os candidatos devem ter desenvolvido e produzido uma a duas longas-metragens para cinema, ficção televisiva, documentários ou duas a três curtas-metragens e/ou anúncios.
  2. Os candidatos devem ser cidadãos da África Subsariana e residir atualmente na África Subsariana (https://bit.ly/3vnOjHX) para se candidatarem. Os candidatos devem ter entre 18 e 35 anos no momento da submissão.

  • ●  Finalistas selecionados:

Os 20 candidatos selecionados serão anunciados em janeiro e, em seguida, convidados para o workshop "How to Pitch to Netflix". O objetivo desse workshop será de guiá-los sobre como preparar, aprimorar e apresentar seus projetos cinematográficos. Um júri independente, sob a supervisão da UNESCO e da Netflix, escolherá os seis vencedores, que realizarão seus curtas-metragens de 12 a 20 minutos sob a orientação de mentores da indústria cinematográfica.

❖  Calendário:
➢  Outubro de 2021 - O portal de candidaturas abre a 14 de outubro
➢  Novembro de 2021 - As candidaturas fecham a 14 de novembro
➢  Janeiro de 2022 - São anunciados os 20 finalistas
➢  Janeiro de 2022 - Workshop "How to Pitch to Netflix" (Como se apresentar à Netflix) para os candidatos selecionados
➢  Fevereiro de 2022 - Os candidatos selecionados são convidados a apresentar as candidaturas finais aos orientadores
➢  Fevereiro de 2022 - Seleção final através do painel de júri conjunto da Netflix e da UNESCO
➢  Fevereiro de 2022 - São anunciados os 6 vencedores
➢  Primavera/Verão 2022 - Desenvolvimento, produção e pós-produção dos filmes
➢  Setembro/Outubro 2022 - Lançamento de 6 filmes no serviço Netflix