Fonte: Ministério da Saúde, Angola |

Coronavirus: Angola regista mais um óbito e 39 novos casos positivos

Angola regista actualmente 1.148 casos confirmados de COVID-19, dos quais 52 óbitos, 437 recuperados e 659 activos

Devemos reduzir cada vez mais o tempo de permanência nos mercados, fazer o uso de máscara em todos os locais e lavar as mãos com água e sabão

LUANDA, Angola, 2 de agosto 2020/APO Group/ --

A vítima mortal é uma angolana com 62 anos, internada em estado crítico no Hospital Militar, onde veio a agravar-se por complicações derivadas da hipertensão arterial e do seu quadro respiratório.

Dos 39 infectados, 11 são mulheres e 28 homens, com manifestações leves e assintomáticos. 

No ponto informativo sobre a COVID-19 desta sexta-feira, 31, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, explicou  que o caso do Luena é importado de Luanda. Trata-se de um cidadão de 37 anos que esteve em quarentena institucional durante sete dias e testou positivo. 

Os quatro casos do Soyo referem-se aos trabalhadores da Base do Kwanda. 

Franco Mufinda disse que um conjunto de medidas sanitárias estão a ser implementadas pelas autoridades sanitárias da província do Zaire, com apoio da empresa Angola LNG, que já resultaram na rastreio de mais 800 trabalhadores. 

Neste sábado, 1, uma delegação liderada pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, vai à cidade do Soyo, avaliar a situação epidemiológica e reforçar a capacidade local em termos de formação sobre vigilância epidemiológica, vigilância laboratorial e medidas de biossegurança para a assistência ao caso de  COVID-19 registado.

Angola regista actualmente 1.148 casos confirmados de COVID-19, dos quais 52 óbitos, 437 recuperados e 659 activos.

Até à data foram realizados no país 64.109 testes na base da biologia molecular, dos quais 1.148 positivos, e 36.736 testes rápidos, dos dos quais 2.114 reactivos.

Franco Mufinda deu a conhecer que prossegue o trabalho de testagem nos centros sentinelas, de quarentena institucional e em grupos de riscos a nível nacional.

Nas últimas 24 horas, 279 pessoas vindas de Portugal, que cumpriam a quarentena institucional, receberam alta. Neste grupo uma pessoa permanecerá em observação por testar reactivo.

Na última quinta-feira, regressaram ao país 283 angolanos retidos na cidade do Porto, em Portugal, em voo humanitário da TAAG, no âmbito do repatriamento de cidadãos nacionais pelo mundo devido à COVID-19.

O secretário de Estado apelou às famílias a serem "grandes participes" na luta contra a COVID-19 para a própria protecção e sobretudo do bem mais precioso que é a vida.

“Devemos reduzir cada vez mais o tempo de permanência nos mercados, fazer o uso de máscara em todos os locais e  lavar as mãos com água e sabão. Quem puder desinfectar com álcool em gel,  melhor".

Distribuído pela APO Group em nome de Ministério da Saúde, Angola.