Fonte: Ministério da Saúde, Angola |

Coronavirus - Angola: Luanda tem mais 18 casos positivos

Os laboratórios de testagem da COVID-19 receberam até ao momento 53.893 amostras, das quais 705 foram positivas, 47.049 negativas e as restantes estão em processamento

LUANDA, Angola, 20 de julho 2020/APO Group/ --

Com os novos dados, Angola conta com 705 casos positivos, dos quais 29 óbitos, 221 recuperados e 455 activos. Do total dos activos, 15 estão em estado crítico e com ventilação mecânica invasiva, entre os quais três com necessidade de hemodiálise.

De acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, que falava este domingo, 19, no habitual balanço sobre a COVID-19, esta doença, em Angola, está concentrada na faixa etária dos 20 a 69 anos, com maior predominância no sexo masculino, comparando com ao feminino.

Quanto à forma de manifestação, 11 por cento são sintomáticos e 89 por cento são assintomáticos.

Os novos infectados, 14 do sexo masculino e quatro do sexo feminino, são residentes dos municípios de Cazenga, Viana, Cacuaco, Talatona e dos distritos urbanos da Maianga e Ingombota.

Na província de Luanda, uma pessoa, em cada 25 rastreadas na província de Luanda, estiveram expostas ao SARS-COV-2, ao vírus que causa a COVID-19.

Por este facto, Franco Mufinda aconselhou a redução do tempo de exposição ao vírus, expressa pelo longo tempo de permanência em alguns aglomerados, como mercados, paragens de táxi e outros locais de grande concentração populacional.

“Quando permanecemos mais tempo, aumentamos a probabilidade de contaminação. Há necessidade de se rever este comportamento de risco", apelou, lembrando que esta medida deve ser sempre acompanhada do uso obrigatório da máscara, lavagem das mãos com frequência, recorrendo ao sabão ou álcool gel, não violação das cercas sanitárias, o distanciamento físico e sobretudo a questão da responsabilidade individual, por um lado, e colectiva, por extenso.

Os laboratórios de testagem da COVID-19 receberam até ao momento 53.893 amostras, das quais 705 foram positivas, 47.049 negativas e as restantes estão em processamento.

No âmbito da campanha de testagem em massa, que ocorre em vários pontos do país, foram testadas 380 pessoas nas últimas 24 horas e 31 tiveram resultados reactivos.

O acumulado dos testes rápidos é de 22.367, das quais 1.036 reactivos.

A nível do país estão em quarentena institucional 943 pessoas. Nas últimas 24 horas, 43 tiveram alta, sendo três em Luanda, 19 em Cabinda, sete no Uíge, seis em Benguela, quatro no Bié e igual número na província do Huambo.

Mantêm-se os 3.832 contactos directos e ocasionais dos casos positivos sob controlo das autoridades sanitárias e 1.460 casos suspeitos em investigação.

As autoridades provinciais reportaram actividades de rastreio nos bancos de urgência e nos centros de quarentena e de tratamento, bem como acções formativas para profissionais de saúde e campanhas de comunicação, educação e informação sobre a COVID-19 nas comunidades.

O secretário de Estado reiterou o apelo para a denúncia daqueles que prometem realizar testes rápidos ou dar alta aos que estão nos centros de quarentena institucional antes do tempo previsto, em troca de dinheiro.

Franco Mufinda também repudiou a circulação nas redes sociais de notícias falsas sobre este assunto.

Distribuído pela APO Group em nome de Ministério da Saúde, Angola.