Fonte: Ministério da Saúde, Angola |

Coronavirus - Angola : Luanda tem mais sete casos de COVID-19

O quadro epidemiológico da pandemia no país regista 353 casos positivos, dos quais 226 activos, incluindo nove com cuidados específicos, 108 recuperados e 19 óbitos

LUANDA, Angola, 6 de julho 2020/APO Group/ --

Com idades compreendidas entre 32 a 75 anos, seis são do sexo masculino e um do sexo feminino, diagnosticados durante o rastreio que está a ser feito nas unidades sanitárias de referência, entre os contactos dos casos positivos e viajantes que chegaram ao país em voos humanitários.

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, disse neste domingo, 5, quando procedia a actualização dos dados da COVID-19, que os municípios do Talatona, Belas, Viana, Cazenga e o distrito urbano da Maianga lideram a lista dos casos positivos.

O quadro epidemiológico da pandemia no país regista 353 casos positivos, dos quais 226 activos, incluindo nove com cuidados específicos, 108 recuperados e 19 óbitos.

O aumento exponencial de casos positivos nas últimas quatro semanas, constitui uma preocupação para o Executivo, segundo a ministra, porque resulta do incumprimento das medidas de protecção individual e colectiva contra a COVID-19.

"Continuamos a ver muita gente na rua sem necessidade, muitos jovens em ajuntamentos, bares, lanchonetes, festas e nos mercados, sem cumprirem com as medidas de prevenção individual e colectiva. Estamos a ver ainda muita gente sem máscara e algumas com as máscaras no queixo. A máscara serve para cobrir a boca e o nariz. Devemos manter o distanciamento social e a lavagem frequente das mãos com água e sabão”, referiu.

Os laboratórios de análise têm colhidas 28.667 amostras, das quais 353 positivas, 21.914 negativas e 6.400 amostras encontram-se em processamento.

A ministra da Saúde deu a conhecer que tem sido feito um trabalho profundo para a acreditação de mais hospitais públicos e privados no que se refere a testagem da COVID-19, além do Instituto Nacional em Investigação e Saúde, Instituto Nacional de Luta contra a Sida, Hospital Militar, Hospital Esperança, clínicas Girassol e Luanda Medicar Center.

“Mais laboratórios entrarão em funcionamento futuramente. Muitos ainda não estão, porque os aparelhos disponíveis requerem reagentes que não são muito fáceis de encontrar no mercado internacional”, justificou.

Encontram-se em quarentena institucional 1.124 pessoas e nas últimas 24 horas 19 tiveram alta, sendo três no Huambo, sete na Lunda Norte, igual número na Huíla, no Bié e no Zaire uma alta cada.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) atendeu 64 chamadas, das quais duas denúncias de casos suspeitos e 62 pedidos de informação sobre a pandemia.

Distribuído pela APO Group em nome de Ministério da Saúde, Angola.